Missão Gospel no Google Plus

entrevistas gospel »

09/05/2013 às 21:15 por Tiago Abreu

Entrevista com a banda Tanlan

Banda Tanlan fala sobre o seu surgimento e sobre o novo movimento musical que está crescendo no Brasil, o crossover.

Tanlan

Tanlan

tamanho do texto: A+ A-

Missão Gospel: Poderiam dar um resumo do que é a Tanlan?
Tanlan: A Tanlan é uma banda de rock formada por cristãos, que busca produzir uma arte que tenha relevância sem rótulos e que busca se comunicar com todos.

Curta o Missão Gospel no Facebook
Siga o Missão Gospel no Twitter

MG: Como surgiu à ideia de fazer uma banda, e como os integrantes se juntaram?
Tanlan: Como artistas, sempre tivemos a idéia de que tínhamos que produzir nossa própria música. Nos conhecemos na igreja, éramos os músicos do grupo de louvor da Primeira Igreja Batista de Porto Alegre, onde ainda congregamos, e depois de alguns projetos que não foram a diante, encontramos o conceito que nos unia e viria a se chamar Tanlan.

MG: A Tanlan é uma das precursoras do "novo movimento", assim como a banda Aeroilis. Para vocês, o que este movimento representa para a música cristã nacional?
Tanlan: Sempre entendemos que a música produzida por cristãos não poderia ficar limitada a um gênero. A arte como a entendemos, não precisa de justificativas funcionais ou panfletárias para se legitimar. Acreditamos que a produção artística cristã pode e deve se comunicar com todos, sendo uma expressão natural das nossas vivências e percepções dos outros, do mundo e de Deus. Sendo assim, sempre trabalhamos com a visão de que a forma do cristão perceber a vida pode e deve ser comunicada numa linguagem acessível tanto para os de dentro, quanto os de fora da igreja. Observando os rumos que este novo movimento tem tomado, acredito que sua representatividade diz respeito, não só a música cristã brasileira, mas a música brasileira como um todo.

MG: Se comparados os álbuns "Tudo que eu Queria" (2008) e "Um Dia a Mais" (2012) nota-se uma diferença enorme nas composições, principalmente no que se refere à religiosidade nas letras. Quais são os motivos de tanta mudança?
Tanlan: No primeiro disco a Tanlan ainda estava em busca de uma identidade sonora. O álbum possuía uma colagem de estilos que nos indicavam o caminho que estávamos buscando. Com os anos, shows e a convivência como banda, começamos a identificar quais as características estéticas e filosóficas que mais tinham a ver com a gente. Assim, depois de lançarmos o single "De onde vem" em 2010, sabíamos que aquela estética iria pautar todo o novo disco. Esse novo disco possui uma sonoridade mais homogênea, e uma linha temática mais concisa. Enquanto em "Tudo que eu queria" fazíamos muitas perguntas, em "Um dia a mais" tentamos dar algumas respostas. Isso foi algo muito natural, nada planejado. As composições foram gradativamente levando-nos nessa direção.

MG: Como aconteceu à produção deste novo trabalho? O que vocês encaram como de mais positivo neste CD?
Tanlan: A produção foi totalmente independente. Todos da banda se envolveram profundamente na concepção de cada faixa. O Fábio exerceu a função mais efetiva de produtor, inclusive mixando todas as músicas que depois foram masterizadas em Nova Iorque no renomado Sterling Sound. Este disco foi, em vários aspectos, muito positivo pra gente. Amadurecemos estéticamente, fomos bastante elogiados pela crítica cristã e secular, e, é claro, assinamos com a Sony Music.

MG: Vocês acreditam no crossover dentro do "gospel" nacional?
Tanlan: Acreditamos que a arte, honesta, produzida por aqueles que conhecem a Cristo não só pode, como deve se comunicar com todos. Sempre fizemos isso sendo independentes, e agora, que a Sony apostou neste projeto com a gente, acreditamos mais ainda. O crossover por concepção, não nasce nem do gospel, nem do dito secular, mas faz a ponte entre dois "mundos" que por muito tempo acreditou-se serem opostos, derrubando muros e construindo uma relevância estética e cultural na música brasileira.

MG: Quais são as principais referências e influências musicais da banda?
Tanlan: Nós quatro temos as mais diversas referências musicais. Desde os clássicos do rock, passando pelo rock anos 80, até as mais desconhecidas bandas da atualidade. O Fábio, vocalista da banda, é um prospector de novidades e tendências. Está sempre nos mostrando algum som novo ou banda que traz algum frescor ao rock. Assim, estamos sempre antenados com o que está acontecendo lá fora e tentamos produzir uma sonoridade que seja atual, e que se comunique com esta geração em que estamos. Acho que podemos citar como referências: Muse, Switchfoot, Foo fighters, Doves, As Tall as Lions etc.

MG: Há previsão de mais algum projeto futuro do grupo seja álbum em CD ou DVD?
Tanlan: Ainda estamos trabalhando fortemente na divulgação do álbum "Um dia a Mais". Estamos planejando algumas novidades para o próximo ano, mas ainda é cedo para dizermos qualquer coisa.

MG: Agradecemos pela entrevista concedida. Poderia deixar um recado aos leitores do Missão Gospel?
Tanlan: Não importa o que você faça, não importa quem você seja, nem onde você esteja, faça tudo que estiver em suas mãos com qualidade e responsabilidade, seja relevante na sua escola, no seu trabalho, na sua igreja. Não viva uma fé aprendida, mas uma fé vivida. Produza sua arte e espalhe esta esperança que nos move em amor, pelo amor e para o amor.
Obrigado pela oportunidade e grande abraço!

fonte: Missão Gospel

publicidade

2 Comentários
Denivaldo Silva
26/05/2013 às 13h13
Vou divulgar o máximo que puder.
-
10/05/2013 às 08h23
Tanlan, que Deus continue iluminando o trabalho e a vida de vocês. Parabéns pelo sucesso que vocês têm e pelo que ainda vão alcançar! Abraço.
x Escrever um comentário

Deixe o seu comentário sobre está entrevista. Deus abençoe.

publicidade

© Copyright 2010, Missão Gospel - Portal gospel